Passo-a-passo: Configurando o "Bacula" pela Primeira Vez 1

O arquivo criado automaticamente na instalação do “Bacula” vai funcionar* apenas como um ambiente de testes. Indispensável fazer certas modificações para que seja um sistema de útil.

*Um dos erros mais comuns que podem acontecer na instalação do “Bacula” consiste na falha de autenticação como banco-de-dados (isso pode ser verificado através da log do “Bacula”). quando isso acontece, não é possível se conectar ao director (bacula-dir) – e o daemon deixa de estar em execução. Para corrigí-lo, tenha certeza de que rodou o script “/etc/bacula/grant_bacula_privileges” e que o login e senha de acesso ao Catálogo estão corretas (dento do recurtos Catalog em “/etc/bacula/bacula-dir.conf).

Com o “Bacula” funcionando (ou seja – acessível através do bconsole), estão são as alterações básicas de customização:

1. Alterar o nome do “Director” e do “Monitor”, para um nome personalizado (como padrão, o “Bacula” utiliza o nome da máquina).

O instalador do “Bacula” utiliza para o nome do director o host da máquina. Se deseja modificar este nome, o melhor momento de fazê-lo é agora (quando você ainda está no início e não tem outros clientes configurados).

Esta alteração precisa ser feita em todos os .conf do servidor (bacula-dir, bacula-fd, bacula-sd e bconsole.conf). Como exemplo, imaginemos que no novo nome será acaraje-dir (“director”) e acaraje-mon (“monitor”). As respectivas senhas são randômicas e deverão estar corretamente configuradas – portanto, não são necessárias mudanças, neste momento.

2. Dica Importante: A cada passo, reinicie os “daemons” para que as mudanças sejam aplicadas e, de igual sorte, verificar por erros de sintaxe.

3. Altere também o nome do seu único “Job” de backup até então configurado, para corresponder ao novo nome do seu “director”.

Ex.: (de default-job para acaraje-job). Reinicie os daemons.

4. Altere também o nome de seu JobDefs (definições de job). Ex.: “padraolinux”.

Observe que, JobDefs são definições gerais para os jobs de “backup” que facilitam a configuração de novos Jobs, tornando desnecessária a repetição de informações. Ainda, as opções constantes nos Jobs prevalecem sobre as do JobDefs. Você precisará alterar o nome do JobDefs também no Recurso “Job” (bacula-dir.conf). No nosso exemplo, também seria para “padrãolinux”. Reinicie os Daemons.

5. Para trabalhar com a estratégia GFS, crie três novas pools (copiando colando e substituindo os nomes) no Recurso “Pool” (diario, semanal, mensal).

Depois, apague as duas “pools” até então existentes. O nome da “pool” padrão precisa ser alterado no “JobDefs”. Reinicie os daemons.

6. Modifique o agendamento (WeeklyCycle), pois o original são apenas exemplos de como configurá-lo.

Aconselhável utilizar apenas um agendamento para ambos os jobs (“backup” e “backupCatalog”), para que sempre sejam feitos na mesmas “pools”. Obviamente, o nome “WeeklyCycle” pode ser alterado para um nome mais simpático, desde que as mudanças sejam feitas também no “JobDefs” e em outras partes do “Director”. Nas próximas páginas, existe um exemplo de agendamento baseado na estratégia GFS. Reinicie os daemons.

7. Configure um “storage” (bacula-sd e depois no bacula-dir).

O “storage” configurado originalmente pelo “Bacula” (File, Device = /tmp) obviamente trata-se apenas de um laboratório. Entretanto, no próprio bacula-sd temos vários exemplos de configuração para outros dispositivos. Mais a frente, temos comentários também sobre estas configurações. Reinicie os daemons.

8. O FileSet original do bacula-dir.conf, vem configurado para backupear apenas uma pasta.

Como exemplo de uso inicial, aconselhável mudar para que seja ¨backupeado” toda o sistema (/ no caso do Linux). De igual sorte, vamos mudar o nome dele para “acarajefileset”, na medida que vamos utilizá-lo para o “backup” dos dados do próprio servidor “Bacula”. Essa alteração precisa ser replicada em outras partes do bacula-dir.conf. Reinicie os daemons. (Provavelmente, já percebeu que para novos servidores, indispensável criar outros FileSets. Entretanto, vários servidores com perfis semelhantes podem usufruir do mesmo FileSet – ex.: servidores linux nos quais tudo será backupeado – ou seja, o /).
Neste momento, nosso sistema de backup básico já está quase pronto. Obviamente novos clientes serão adicionados e customizações mais avançadas precisarão ser feitas.

Abracetas,

Heitor Faria [www.bacula.com.br]

Disponível em: pt-brPortuguês

Deixe uma resposta

Fechar Menu