Download Código do Bacula (o mesmo para Servidor e Clientes):

Acesse a URL e baixe o pacote bacula-x.x.x Source.tar.gz mais recente <https://sourceforge.net/projects/bacula/files/bacula/> ou baixe diretamente por aqui e descompacte para o diretório padrão /usr/src, tudo com apenas este comando:

wget -qO- http://www.bacula.com.br/atual | tar -xzvf - -C /usr/src

Dependências e Compliação do Servidor Linux (todos os daemons e console):

a.1) Debian 8 / Ubuntu:

# Mysql:
apt-get install -y build-essential libreadline6-dev zlib1g-dev liblzo2-dev mt-st mtx postfix libacl1-dev libssl-dev libmysql++-dev mysql-server

# Postgresql:
apt-get install -y build-essential libreadline6-dev zlib1g-dev liblzo2-dev mt-st mtx postfix libacl1-dev libssl-dev postgresql-server-dev-9.6 postgresql-9.6

a.2) CentOS 7 / RedHat:

Instale as dependências:

# Mysql:
yum -y install gcc-c++ readline-devel zlib-devel lzo-devel libacl-devel mt-st mtx postfix openssl-devel mariadb-devel mariadb-server

# Postgresql:
yum -y install gcc-c++ readline-devel zlib-devel lzo-devel libacl-devel mt-st mtx postfix openssl-devel postgresql-devel postgresql-server

Adicione as exceções necessárias ao trabalho do Bacula no IPTABLES / Firewalld:

# IPTABLES
-A FW-1-INPUT -m state --state NEW -m tcp -p tcp --dport 9101:9103 -j ACCEPT

# Firewalld
firewall-cmd --permanent --zone=public --add-port=9101-9103/tcp
firewall-cmd --reload

Desabilite o selinux temporariamente e permanentemente, ou pesquise e aplique uma política para o Bacula.

setenforce 0
sudo sed -i "s/enforcing/disabled/g" /etc/selinux/config
sudo sed -i "s/enforcing/disabled/g" /etc/sysconfig/selinux

b) Configure a compilação (todas as distribuições)

Prossiga com a configuração do código, customizando as últimas opções abaixo (normalmente as últimas 3, para novas instalações):

# Mysql:
cd /usr/src/bacula*
./configure --with-readline=/usr/include/readline --disable-conio --bindir=/usr/bin --sbindir=/usr/sbin --with-scriptdir=/etc/bacula/scripts --with-working-dir=/var/lib/bacula --with-logdir=/var/log --enable-smartalloc --with-mysql --with-archivedir=/mnt/backup --with-job-email=seu@email.com.br --with-hostname=ip_nome_servidor

# Postgresql:
cd /usr/src/bacula*
./configure --with-readline=/usr/include/readline --disable-conio --bindir=/usr/bin --sbindir=/usr/sbin --with-scriptdir=/etc/bacula/scripts --with-working-dir=/var/lib/bacula --with-logdir=/var/log --enable-smartalloc --with-postgresql --with-archivedir=/mnt/backup --with-job-email=seu@email.com.br --with-hostname=ip_nome_servidor

c) Para compilar, instalar e habilitar o início automático dos daemons do Bacula em tempo de boot (todas as distribuições):

make -j8 && make install && make install-autostart

d) Criando o Banco de Dados:

Execute os scripts de criação do Banco, tabelas e usuário Bacula no Banco de Dados. Para MYSQL:

# MySQL:
chmod o+rx /etc/bacula/scripts/*
/etc/bacula/scripts/create_mysql_database -u root -p && \
/etc/bacula/scripts/make_mysql_tables -u root -p && \
/etc/bacula/scripts/grant_mysql_privileges -u root -p

Você será convidado a insterir a senha do usuário root do MYSQL.

Se seu banco do catálogo for POSTGRESQL, execute o que segue:

# Postgresql:
postgresql-setup initdb
sed -i 's/peer/trust/g' /var/lib/pgsql/data/pg_hba.conf 
sed -i 's/ident/trust/g' /var/lib/pgsql/data/pg_hba.conf
service postgresql start
chkconfig postgresql on
cp /etc/bacula/scripts/* /tmp
chmod o+rx /tmp/*
sudo -u postgres /tmp/create_postgresql_database 
sudo -u postgres /tmp/make_postgresql_tables
sudo -u postgres /tmp/grant_postgresql_privileges

e) Inicie os serviços do Bacula pela primeira vez (todas as distribuições). Exemplo:

service bacula-fd start && service bacula-sd start && service bacula-dir start

No shell tente acessar o Bacula através do bconsole. O prompt desejado é o que começa por asterisco (*):

bconsole
Connecting to Director localhost:9101
1000 OK: debian-dir Version: 7.4.0 (16 January 2016)
Enter a period to cancel a command.
*

Dependências, Compilação e Instalação APENAS DO CLIENTE Linux:

a) Download Código do Bacula (o mesmo para Servidor e Clientes):

Acesse a URL e baixe o pacote bacula-x.x.x Source.tar.gz mais recente: http://blog.bacula.org/download-center/ *ou baixe diretamente por aqui e descompacte para o diretório padrão /usr/src, tudo com apenas este comando:

wget -qO- http://www.bacula.com.br/atual | tar -xzvf - -C /usr/src

b) Prossiga com a instalação de dependências e preparações específicas:

b.1) Debian 8 / Ubuntu:

apt-get install -y build-essential zlib1g-dev liblzo2-dev libacl1-dev libssl-dev
cd /usr/src/bacula*

b.2) CentOS 7 / RedHat:

yum -y install gcc-c++ zlib-devel lzo-devel libacl-devel openssl-devel
cd /usr/src/bacula*

Adicione as exceções necessárias ao trabalho do Bacula no IPTABLES / Firewalld:

# IPTABLES
-A FW-1-INPUT -m state --state NEW -m tcp -p tcp --dport 9102 -j ACCEPT

# Firewalld
firewall-cmd --permanent --zone=public --add-port=9102/tcp
firewall-cmd --reload

Desabilite o selinux temporariamente e permanentemente, ou pesquise e aplique uma política para o Bacula.

setenforce 0
sudo sed -i "s/enforcing/disabled/g" /etc/selinux/config
sudo sed -i "s/enforcing/disabled/g" /etc/sysconfig/selinux

c) Configure a compilação do código (todas as distribuições):

./configure --enable-client-only --enable-build-dird=no --enable-build-stored=no --bindir=/usr/bin --sbindir=/usr/sbin --with-scriptdir=/etc/bacula/scripts --with-working-dir=/var/lib/bacula --with-logdir=/var/log --enable-smartalloc

d) Para compilar, instalar e habilitar o início automático dos daemon CLIENTE do Bacula em tempo de boot:

make -j8 && make install && make install-autostart-fd

e) Inicie o serviço cliente do Bacula:

service bacula-fd start

Instalação APENAS DO CLIENTE Windows:

Acesse a URL: http://blog.bacula.org/download-center/ e baixe os pacotes já compilados para Windows de acordo com a arquitetura da máquina Windows (32 ou 64 bits), ou baixe os dois diretamente por aqui:

http://www.bacula.com.br/winclients

Execute o instalador.

Quando perguntado, escolha: Custom Install e apenas pacotes do Cliente e Plugins.

O instalador pedirá também para informar o nome real do seu Director (aquele que instalamos no Servidor de Backup Linux). Você pode obter essa informação executando ao entrar no bconsole:

bconsole
Connecting to Director localhost:9101
1000 OK: debian-dir Version: 7.4.0 (16 January 2016)
Enter a period to cancel a command.
*

Neste caso o nome de meu Director é: debian-dir.

Prossiga com a instalação até o fim. Feche caixas de diálogo adicionais.

O serviço bacula-fd deve estar em execução (pode vê-lo em services.msc). Agora é possível prosseguir em amarrar este cliente ao Director, acrescentando um respectivo novo recurso Client no bacula-dir.conf, mas isto deverá ser detalhado em tópicos adiante.

Disponível em: pt-brPortuguês enEnglish (Inglês) esEspañol (Espanhol)

Fechar Menu