O “bconsole” (arquivo de configuração: bacula-dir.conf), ferramenta de administração básica do Bacula, pode ser instalada numa máquina remota (desde que seja confiugrada com a mesma senha de acesso que se encontra no bacula-dir.conf). É a maneira mais segura de ser administrar esta ferramenta de backup, na medida que dá acesso, apenas, ao serviço de backup / restauração do servidor (na figura, é o acesso representado pelo relâmpago).

Caso contrário, é necessário acessar o servidor Bacula propriamente dito (o director), e daí acessar o “bconsole”. Geralmente, ele é instalado automaticamente em conjunto com os outros módulos do “software”.

Vale salientar, que existem outras ferramentas de interface com o Bacula (inclusive nativas, como o wxconsole). Entretanto, as configurações de acesso são sempre baseadas no bconsole (bconsole.conf).

No Linux:

Acesse a linha de comando do servidor, e execute o comando “bconsole”. Obviamente, o acesso pode ser feito através de ssh.

No Windows:

Opção 1: Acesse o Menu Inciar > Programas > Bacula > bwxconsole.

Opção 2: Na linha decomando, execute o comando: c:Arquivos de ProgramasBaculabinbconsole

Capítulo X - Acessando o "Bacula" 1
—> Figura 1: Esquema Funcionamento Bacula

Exemplo bconsole.conf:

#
# Arquivo de configuração do agente de usuário Bacula (ou Console)
#

Director {
Name = nome_director-dir # aqui, coloque o nome com o qual você batizou o seu Bacula director (ou servidor Bacula).
DIRport = 9101 # esta configuração é padrão do Bacula. Só mude em caso de peculiaridades de seu ambiente de rede (firewall, serviços que já utilizem esta porta, etc.).
address = ip_director # aqui, coloque o IP do seu Bacula Director (servidor Bacula).
Password = “12345# coloque a mesma senha contida no /etc/bacula/bacula-dir.conf do Servidor Bacula. É a primeira senha de todas – encontra-se na seção “Director”. Obviamente, deve ser uma senha mais forte que 12345 (do exemplo) =].
}

Disponível em: pt-brPortuguês

Deixe uma resposta

Fechar Menu